Pin Up Casino

O EFEITO DO CLORETO DE ESTANHO NA PREVENÇÃO DO PROCESSO EROSIVO EXTRÍNSECO EM DENTINA – REVISÃO SISTEMÁTICA

R$ 56,00

Artigo em PDF para download

ATENÇÃO: Após a confirmação de pagamento você receberá em seu email cadastrado um link para download do arquivo em versão PDF e também será disponibilizado em nosso site um link para download do arquivo.
Tanto o envio do email quanto a disponibilização do link para download só serão efetivadas após a validação do seu pagamento.

 

Descrição

Vol. 14 – Número 53 – 2022

CADERNO DE ODONTOLOGIA CLÍNICA

Artigo de revisão

Página 130-138
O efeito do cloreto de estanho na prevenção do processo erosivo extrínseco em dentina – revisão sistemática

Lucas Lino de Oliveira¹
Samuel Chillavert Dias Pascoal¹
Maria Mikaele Mota Rodrigues²
Layla Kecce Pedroza Machado²
Karlos Eduardo Rodrigues Lima²
Talita Arrais Daniel Mendes³

RESUMO
Alimentos ácidos são frequentemente consumidos em todo o mundo. No ambiente odontológico, estes podem desencadear a erosão dentária (ED), trazendo inúmeros prejuízos à saúde bucal, principalmente quando acometidas em tecido dentinário. Assim, o cloreto estanhoso (CE) tem sido amplamente investigado como um agente antierosivo contra ácidos extrínsecos. Desse modo, objetivou-se revisar sistematicamente a literatura para avaliar o efeito do CE na prevenção da ED desencadeada de forma extrínseca em dentina. Para isso, pesquisaram-se nas bases de dados National Center for Biotechnology Information (PUBMED), Science Direct, Scopus e Web of Science os descritores cadastrados no MeSH “tooth erosion”, “stannous chloride” e “dentin” com seus entry terms aliando combinações com diferentes operadores booleanos, sem restrição de período e idioma, resultando em 2.040 estudos. Após aplicação dos critérios de elegibilidade, incluíram-se 9, sendo eles estudos in vitro que avaliavam o efeito do CE como agente atenuante aos ataques erosivos extrínsecos em dentina. Três estudos evidenciaram efeito positivo do CE sobre a ED de origem extrínseca em dentina, porém quatro estudos elucidaram que o CE de forma isolada demonstra eficácia inferior ao mesmo agente associado a outras substâncias, como o fluoreto de sódio. Dois estudos concluíram que o fluoreto de estanho apresenta efeito superior ao CE. Em suma, os estudos demonstraram que o CE de forma isolada apresenta eficácia questionável, porém quando associado a outros agentes antierosivos torna-se uma excelente alternativa para prevenir, paralisar ou reduzir os impactos da ED de origem extrínseca, em substrato de dentina.

Descritores: Erosão dentária, cloreto estanhoso, dentina.

¹ Programa de Pós-Graduação em Odontologia – UFC.
² Clínica Odontológica – UniCatólica Quixadá.
³ Universidade de Fortaleza – Unifor.

DOI: 10.24077/2022;13522402203

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “O EFEITO DO CLORETO DE ESTANHO NA PREVENÇÃO DO PROCESSO EROSIVO EXTRÍNSECO EM DENTINA – REVISÃO SISTEMÁTICA”
Precisa de ajuda?