Resistência de união ao cisalhamento entre a resina composta e dentes artificiais de resina acrílica

Resistência de união ao cisalhamento entre a resina composta e dentes artificiais de resina acrílica

Vol. 10 – Número 40 – 2021 Artigo original Página 33-37 Resistência de união ao cisalhamento entre a resina composta e dentes artificiais de resina acrílica Joyce de Figueiredo Meira Barbosa1 Lara Pepita de Souza Oliveira2 Marcelo Nascimento Bruce3 Jonas Alves Oliveira4 Ligia Regina Mota Vasconcelos5 José Antônio Nunes de Mello6 Resumo Dentes acrílicos de próteses podem sofrer fratura ou desgaste que exijam a necessidade de reparo. Este estudo teve por objetivo avaliar a resistência de união ao cisalhamento entre dentes artificiais de resina acrílica restaurados com resina composta (com dois diferentes tratamentos de superfície) e com resina acrílica (RA), simulando-se o reparo com estes materiais. Trinta incisivos artificiais foram incluídos pela face palatina em uma base circular de RA polimerizada por micro-ondas e polidos em sua face vestibular com lixas de granulação 120 e 320, em politriz metalográfica e, então, divididos em três grupos: (I) restauração com RA utopolimerizável; (II) restauração convencional com resina composta Z-100 com a prévia aplicação de ataque ácido e adesivo Single Bond-3M; e (III) restauração com resina composta Z-100 com submersão prévia por 30 segundos em acetona e aplicação do adesivo Single Bond-3M. Testes de resistência ao cisalhamento foram realizados em Máquina Universal de Ensaios (Instron). Os resultados foram submetidos aos testes ANOVA e Tukey (p<0,05), no qual o Grupo I (33,26MPa ±10,76) e Grupo III (22,24MPa ±13,13) não apresentaram diferença estatiscamente significante, mas ambos foram superiores ao Grupo II (10,31MPa ±5,62), que demonstrou um menor valor de resistência de cisalhamento. Concluiu-se que a restauração em resina composta com tratamento de superfície em acetona pode ser uma alternativa viável de reparo. Descritores: Dente artificial, resinas acrílicas, Bis-GMA, adesividade. 1 Me. em Odontologia – Ciências Odontológicas – FAO/UFAM, Prof.ª Adjunta de Prótese Dentária – UNIP. 2 Mestranda em Odontologia – Reabilitação Oral – UFAM. 3 Graduado em Odontologia – UEA. 4 Dr. em Clínica Odontológica – Prótese Dentária – FOP-UNICAMP, Prof. Adjunto de Prótese Dentária – UEA. 5 Dr.ª em Clínicas Odontológicas – SL Mandic, Prof.ª Dr.ª Adjunta de Prótese Dentária – UEA. 6 Dr. em Clínica Odontológica – Prótese Dentárial – FOP-UNICAMP, Prof. Dr. Adjunto de Prótese Dentária – UEA. DOI: 10.24077/2021;1040-3337 Prezado assinante, o artigo estará disponível para download em janeiro de 2022.

Este conteúdo é restrito a membros do site. Se você é um usuário registrado, por favor faça o login. Novos usuários podem registrar-se abaixo.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
Abrir conversa
Precisa de ajuda?