TRATAMENTO ORTODÔNTICO DE PACIENTE PORTADOR DE SÍNDROME DE TREACHER COLLINS – RELATO DE CASO

R$ 56,00

Artigo em PDF para download

ATENÇÃO: Após a confirmação de pagamento você receberá em seu email cadastrado um link para download do arquivo em versão PDF e também será disponibilizado em nosso site um link para download do arquivo.
Tanto o envio do email quanto a disponibilização do link para download só serão efetivadas após a validação do seu pagamento.

 

Descrição

Vol. 16 – Número 64 – 2023

Relato de caso

Página 69-76
Tratamento ortodôntico de paciente portador de síndrome de Treacher Collins – relato de caso

Juliana Marques¹
Mauro Carlos Agner Busato¹
Sara Yrma Piccinin Villarroel¹
Mayara Ornelas Lançanova¹
Ainná Ana de Lima¹
Bruna Secco Pasini¹

Resumo
Este trabalho é uma descrição de um caso clínico de paciente portador de Síndrome de Treacher Collins (STC). O paciente em questão é menor de idade e foi submetido a tratamento ortodôntico interceptivo de má oclusão de classe II, característica da síndrome devido à retrognatia, no Centro de Atenção e Pesquisa em Anomalia Craniofacial (CEAPAC), Cascavel – PR. As disostoses faciais são um conjunto de anomalias raras do esqueleto craniofacial, a mais comumente descrita é a STC, que é uma doença rara, sem predisposição por sexo ou raça. Os sintomas e a severidade desta síndrome diferem de indivíduo para indivíduo, mesmo entre membros da mesma família. Suas características comuns são as anormalidades dos pavilhões auriculares, hipoplasia dos ossos da face, obliquidade antimongolóide das fendas palpebrais com coloboma palpebral inferior e fissura palatina e o principal problema anatômico é a hipoplasia do terço médio da face e o hipodesenvolvimento da mandíbula e mento, o que leva o paciente portador desta síndrome apresentar por suas características faciais uma má oclusão de classe II muitas vezes associadas à mordida aberta, além de outros problemas orais como, por exemplo, as patologia das glândulas salivares, respiração bucal e apinhamento dentário. O tratamento ortodôntico intercepetivo do menor, embora após terminado tenha permanecido com má oclusão de classe II, obteve mudanças em parâmetros cefalométricos e faciais do paciente.

Descritores: Disostose mandibulofacial, Ortodontia Interceptora, Má oclusão de classe II de Angle

¹ Centro de Atenção e Pesquisa em Anomalia Craniofacial – CEAPAC – UNIOESTE.

DOI: 10.24077/2023;1664-026461805

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “TRATAMENTO ORTODÔNTICO DE PACIENTE PORTADOR DE SÍNDROME DE TREACHER COLLINS – RELATO DE CASO”
Precisa de ajuda?