AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À DEFORMAÇÃO PLÁSTICA DOS FIOS REDONDOS DE NÍQUEL-TITÂNIO

R$ 56,00

Artigo em PDF para download

ATENÇÃO: Após a confirmação de pagamento você receberá em seu email cadastrado um link para download do arquivo em versão PDF e também será disponibilizado em nosso site um link para download do arquivo.
Tanto o envio do email quanto a disponibilização do link para download só serão efetivadas após a validação do seu pagamento.

Descrição

Vol. 15 – Número 59 – 2022

NA VISÃO D’ELAS

Página 102-109
Avaliação da resistência à deformação plástica dos fios redondos de níquel-titânio

Leniana Santos Neves1
Pedro Damas Resende2
Esdras de Campos França3
Rodrigo Hermont Cançado4
Leandro de Arruda Santos5
Fernanda Silva Viana6

Resumo
As ligas de níquel-titânio (NiTi) possuem elasticidade elevada sem sofrer deformações plásticas permanentes, sendo amplamente indicadas nas primeiras fases do tratamento ortodôntico. O Objetivo deste estudo é avaliar a resistência de fios ortodônticos de NiTi termoativados em relação à deformação plástica. Foram avaliados fios de 6 marcas comerciais (GAC®, Morelli®, American Orthodontics®, Infinity®e 3M®). Primeiramente a partir de modelos prototipados foi simulada a relação entre deformação plástica e deflexão pela distância interbráquetes em 4 níveis de força a 37°C por 30 dias. Um segundo experimento foi realizado através da análise de fotografias padronizadas com diagramas observando o antes e depois de aplicada uma deformação ao fio a diferentes temperaturas. Os resultados do primeiro teste mostraram que todas as marcas comerciais testadas retornaram a sua forma original após sofrer deflexão por 30 dias. O segundo experimento mostrou que os fios da marca GAC® e American Orthodontics® não apresentaram diferenças estatisticamente significativas comparando as medidas do fio antes da deformação, deformado e após aquecimento (fio aquecido). Já os fios das marcas 3M®, Orthometric® e Infinity®, Morelli apresentaram diferenças significantes entre os fios novos e os fios deformados, e entre os fios deformados e os fios aquecidos, porém, não houve diferenças significantes entre os fios novos e aquecidos. Concluiu-se que nenhum fio, em nenhuma magnitude de deflexão aplicada, sofreu deformação plástica (permanente). Assim, todos os fios das marcas comerciais testadas foram considerados satisfatórios para a prática clínica da Ortodontia no que diz respeito à resistência a deformação plástica.

Descritores: Fios ortodônticos, aparelhos ortodônticos, técnicas de movimentação dentária.

1 Professora do Departamento de Odontologia Restauradora – Disciplina de Ortodontia – UFMG, Mestre e Doutora em Ortodontia – FOB-USP.
2 Mestre em Engenharia Metalúrgica – UFMG.
3 Especialista em Ortodontia – UFMG, Professor Substituto do Departamento de Odontologia Restauradora – Disciplina de Ortodontia – UFMG, Mestre e Doutor em Odontologia – UFMG.
4 Professor do Departamento de Odontologia Restauradora – Disciplina de Ortodontia – UFMG, Mestre e Doutor em Ortodontia – FOB-USP.
5 Professor do Departamento de Engenharia Metalúrgica da Faculdade de Engenharia – UFMG, Mestre em Engenharia de Materiais – UFSC, Doutor em Engenharia Metalúrgica – UFMG.
6 Especialista em Ortodontia – UFMG.

DOI: 10.24077/2022;1559-0261209

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À DEFORMAÇÃO PLÁSTICA DOS FIOS REDONDOS DE NÍQUEL-TITÂNIO”
Precisa de ajuda?