Ortho Science - 30ª Edição

19/06/2015Tratamento compensatório da mordida cruzada dentoalveolar em adultos utilizando o arco auxiliar de expansão

O objetivo deste trabalho é apresentar uma alternativa de tratamento para expansão dentoalveolar

19/06/2015Influência de diferentes tipos de máquinas de ensaio e da termociclagem na resistência adesiva ao cisalhamento e no índice de adesivo remanescente 19/06/2015Alterações cefalométricas dentárias induzidas pelo aparelho de Herbst com dois tipos de ancoragem para maxila

Neste estudo retrospectivo, foram avaliadas telerradiografias de 44 pacientes

19/06/2015Correlação entre as idades cronológica, dentária e esquelética em pacientes submetidos ao tratamento ortodôntico

A idade do paciente é um importante dado tanto para estudos demográficos

19/06/2015Estudo clínico comparativo randomizado dos efeitos do ativador de Rossi no tratamento da Classe II em pacientes pré-adolescentes

A proposição desta investigação foi avaliar cefalometricamente as mudanças dentoesqueléticas

19/06/2015A intrusão isolada dos incisivos centrais superiores na má oclusão Classe II, divisão 2 – relato de caso

A má oclusão Classe II divisão 2 de Angle é caracterizada pela relação molar de Classe II

19/06/2015Extração de incisivo inferior combinada à técnica ortodôntica lingual – relato de caso

Os bráquetes são posi- cionados atrás dos dentes de maneira a ficarem imperceptíveis

19/06/2015Efeitos do tratamento em duas fases da Classe III no paciente pós-pico de crescimento

O objetivo desse trabalho é mostrar o tratamento em duas fases de um caso de Classe III

19/06/2015Trauma dentário como fator de inversão na erupção dentária e dilaceração radicular – relato de caso

Clinicamente, a dilaceração pode ser revelada por meio de palpação alta

19/06/2015Tratamento multidisciplinar de incisivos centrais superiores impactados

As impactações dentárias podem ser idiopáticas ou causadas por traumatismos

19/06/2015Tratamento ortodôntico e ortopédico da mordida cruzada posterior

Com uma estimativa de 8% a 23,5%, a mordida cruzada posterior é a má oclusão de maior frequência na clínica

EDITORA PLENA