Local de inserção de mini-implantes extra-alveolares no buccal shelf – revisão sistemática

Local de inserção de mini-implantes extra-alveolares no buccal shelf – revisão sistemática

Vol. 15 – Número 57 – 2022 Revisão sistemática Página 95-102 Local de inserção de mini-implantes extra-alveolares no buccal shelf – revisão sistemática Marcus Vinicius Neiva Nunes do Rego1 Cristiano Alvarenga Sousa2 Verônica Sousa Pinto2 Pio Thiago Fortes³ Resumo O presente estudo teve como objetivo avaliar, por meio de uma revisão sistemática da literatura, a melhor área anatômica para instalação de mini-implantes extra-alveolares na mandíbula, região do buccal shelf. A pesquisa foi realizada nas bases de dados PUBMED, SCOPUS, WEB OF SCIENCE e COCHRANE LIBRARY, de setembro de 2019 a março de 2020. A estratégia de busca incluiu termos relativos a mini-implantes extra-alveolares, ancoragem esquelética e espessura da cortical óssea mandibular e resultou em 18585 títulos/resumos, sendo nove artigos lidos integralmente. Foram selecionados cinco artigos para avaliação metodológica, após aplicação dos critérios de inclusão e exclusão. Todos os estudos foram retrospectivos e a maioria com nível de evidência moderado. Os resultados revelaram uma alta taxa de sucesso dos mini-implantes extra-alveolares (em torno de 90%) e, quanto à região anatômica, a área correspondendo à distal do segundo molar apresentou maior espessura da cortical e largura óssea. No entanto quanto mais distal ao segundo molar, maior a proximidade do nervo alveolar inferior. Foram observadas variações individuais, mas faltam evidências científicas em relação às possíveis variáveis de interferência tais como tipo de má oclusão, padrão de crescimento, tipo racial, idade e gênero. Conclui-se que os mini-implantes extra-alveolares na região do buccal shelf são recursos eficientes de ancoragem e o local mais adequado para a instalação foi a região vestibular aos segundos molares, a uma distância de 4mm a 8mm da junção cemento esmalte, com um ângulo de 700 a 900 com o plano oclusal mandibular. Descritores: Procedimentos de ancoragem ortodôntica, mandíbula, revisão sistemática. ¹ Mestre e Doutor em Ortodontia, Pós-Doutor em Ortodontia – UFRJ, Departamento de Ortodontia – Centro Universitário Uninovafapi/PI. ² Graduação em Odontologia – Centro Universitário Uninovafapi/PI. ³ Especialista em Ortodontia – Centro Universitário Uninovafapi/PI. DOI: 10.24077/2022;1557-185112

Este conteúdo é restrito a membros do site. Se você é um usuário registrado, por favor faça o login. Novos usuários podem registrar-se abaixo.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
Precisa de ajuda?