Influências dos perfis das roscas dos implantes osseointegráveis

Influências dos perfis das roscas dos implantes osseointegráveis

Vol. 12 – Número 47 – 2021 CADERNO DE IMPLANTODONTIA Artigo original Página 67-74 Influências dos perfis das roscas dos implantes osseointegráveis Carlos Nelson Elias¹ Francielly Moura Soares¹ Resumo Na fabricação dos implantes dentários osseointegráveis não existe uma norma técnica que defina a forma do corpo e dos perfis dos filetes das roscas (espiras). As empresas desenvolvem formas dos implantes para aumentar a área da superfície de contato implante-osso, melhorar a estabilidade primária e promover melhor distribuição das forças orais para o osso. O objetivo do presente trabalho foi caracterizar os perfis dos filetes das roscas de implantes comercializados no Brasil e analisar a influência na estabilidade primária e na distribuição das forças na interface implante-osso. Sete grupos de implantes com geometrias do corpo cilíndrica (Master Screw®), cônica (Flash®, Master Grip® e Conect Conic®) e híbrida (Easy Grip®, AR-Torq® e AR Morse®) foram inseridos em polietileno, poliuretano e em osso suíno. Os resultados mostraram que os implantes cônicos apresentam maior estabilidade primária, os perfis das roscas devem ser arredondados, a rosca quadrada induz maiores tensões compressivas no osso e as microroscas na cervical reduzem a concentração de tensões. Descritores: Implante dentário, força de mordida, tensão mecânica, interface implante-osso. ¹ Ciência dos Materiais – Instituto Militar de Engenharia – Rio de Janeiro/RJ. DOI: 10.24077/2021;12476774 Prezado assinante, o artigo estará disponível para download em janeiro de 2022.

Este conteúdo é restrito a membros do site. Se você é um usuário registrado, por favor faça o login. Novos usuários podem registrar-se abaixo.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
Abrir conversa
Precisa de ajuda?