Coluna Point of View – Set-up diagnóstico em Ortodontia. Os princípios básicos continuam na era digital?

Coluna Point of View – Set-up diagnóstico em Ortodontia. Os princípios básicos continuam na era digital?

Vol. 14 – Número 55 – 2021 Coluna Point of View Página 19-22 Set-up diagnóstico em Ortodontia. Os princípios básicos continuam na era digital? Sergio Luiz Mota Júnior1 Daniela Gomes de Rezende Azevedo2 Ariel Adriano Reyes3 Fernando Augusto Casagrande4 Orlando Tanaka5 Introdução A digitalização de modelos, o escaneamento intraoral, o planejamento digital e a impressão tridimensional (3D) são inovações na Odontologia e, sobretudo, na Ortodontia da atualidade. Os modelos digitais utilizados em softwares fornecem informações sobre as dimensões dos dentes, discrepâncias no perímetro e comprimento do arco, assimetrias e relações do arco em três dimensões. As simulações dentro dos objetivos baseados no diagnóstico, como a necessidade de extrações dentárias ou de desgaste interproximal podem ser avaliadas. Com tais recursos é possível executar o set-up, que é uma valiosa ferramenta para a complementação do diagnóstico na Ortodontia. A execução na plataforma digital por meio de softwares específicos traz a facilidade e permite ser realizado de forma limpa, pois o modelo tradicional gera poeira durante o recorte do gesso, de fácil e rápida visualização e, principalmente, comunicação entre as especialidades e com os pacientes. Os dentes virtuais são recortados do modelo por meio de técnicas de segmentação virtual, de acordo com o software utilizado¹. No set-up digital é possível confirmar, modificar ou rejeitar um plano de tratamento²,³. O modelo pode ser ampliado usando o zoom e as imagens podem ser recortadas, salvas e impressas de acordo com a necessidade. A maioria dos softwares para análise de modelos digitais possibilita a visualização de contatos oclusais e a realização de medições ponto a ponto ou ponto a plano. Além disso, alguns fornecem automaticamente o índice de análise do American Board of Orthodontics³. No set-up convencional, a forma do arco é planejada usando um fio de latão ou diagramas pré-estabelecidos disponíveis por diferentes fabricantes4. No set-up digital, essa forma pode ser facilmente ajustada para cada paciente utilizando ferramentas que podem criar uma forma de arco digital. Como alternativa, o ortodontista pode selecionar pontos de referência na arcada dentária virtual e selecionar um modelo de arco digital para escolher a melhor forma de arco para o paciente¹. O ortodontista pode quantificar e visualizar o movimento dentário aplicado em todas as direções durante a elaboração do set-up digital5 e, quando necessário, o movimento dentário aplicado pode ser facilmente revertido¹. 1 Pós-doutor – UFJF, Professor do Curso de Especialização em Ortodontia – UFJF, Consultório Particular 2 Mestre em Ortodontia – UFRJ, Doutoranda em Saúde – UFJF. 3 Professor do Departmento de Periodontia e Implantodontia – Pontificia Universidad Católica Madre y Maestra – Santo Domingo – Republica Dominicana, Doutor em Odontologia e Ortodontia – PUCPR. 4 Mestre em Odontologia e Ortodontia – PUCPR, Professor do Curso de Especialização em Ortodontia – PUCPR. 5 Professor Titular – PPGO – PUCPR, Diplomado pelo Board Brasileiro de Ortodontia e Ortopedia Facial, Escola de Ciências da Vida. DOI: 10.24077/2021;1455-1922 Prezado assinante, o artigo estará disponível para download em janeiro de 2022.

Este conteúdo é restrito a membros do site. Se você é um usuário registrado, por favor faça o login. Novos usuários podem registrar-se abaixo.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
Abrir conversa
Precisa de ajuda?