Coluna Point of View – Borda Wala. O que é e para quê?

Coluna Point of View – Borda Wala. O que é e para quê?

Vol. 14 – Número 56 – 2021 Coluna Point of View Página 19-22 Borda Wala. O que é e para quê? Mauricio Brunetto1 Andre Weissheimer2 Giovani Ceron Hartmann3 Mohamad Jamal Bark4 Orlando Tanaka5 Introdução A forma da arcada dentária mandibular é considerada uma das principais referências durante o tratamento ortodôntico, pois a sua manutenção é um fator importante para a estabilidade do tratamento¹. A posição correta dos dentes na linha de oclusão da maxila e mandíbula, respeitando os limites do osso subjacente, é importante para a estabilidade dos dentes após o tratamento ortodôntico, bem como para a saúde do periodonto de proteção². Andrews e Andrews³ sugeriram a utilização de uma referência anatômica, como parâmetro, com o objetivo de centralizar as raízes dos dentes no osso basal, a qual denominaram Borda WALA (acrônimo com as iniciais de Will Andrews e Lawrence Andrews). A Borda WALA é a faixa de tecido mole imediatamente acima da junção muco gengival da mandíbula, no nível da linha que passa pelos centros de rotação dos dentes, ou próximo a ela, sendo exclusiva da mandíbula. Clinicamente, quando analisada sem o estiramento da mucosa jugal e do lábio inferior, corresponde a uma linha rosa esbranquiçada cujo limite inferior geralmente corresponde à linha ou junção muco gengival, ou seja, o limite entre a gengiva e a mucosa alveolar. A identificação da Borda WALA procurou atender à necessidade de se encontrar uma estrutura anatômica estável que determinasse o contorno ideal do arco mandibular sem que houvesse influência de fatores externos e internos4. A expansão da arcada dentária é afetada pela forma do osso basal. As complicações mais comuns do tratamento ortodôntico, como a recidiva, podem ter muito a ver com a forma do osso basal ou podem advir como consequência da forma do osso basal5. Consequentemente, escolher um método prático, fácil e confiável de diagnosticar torna-se necessário, como ilustrado nos 3 casos clínicos. A forma das arcadas dentárias deve ser individualizada para levar em conta as variações anatômicas individuais6. Biomecanicamente, uma única força, aplicada por vestibular a uma coroa de dente, resulta na inclinação do dente próximo ao seu centro de resistência. Portanto, os arcos moldados para a borda WALA conceitualmente levam a cúspide dos dentes para uma posição vertical com o centro de resistência permanecendo centralizado no osso alveolar7. 1 Especialista e Mestre em Ortodontia – UFSC, Professor do Curso de Especialização em Ortodontia – PUCPR. 2 Adjunct Assistant Professor, Graduate Orthodontics – Herman Ostrow School of Dentistry of USC, Doutor e Mestre em Ortodontia – PUCRS, Especialista em Ortodontia – UFSC. 3 Doutorando em Odontologia – Ortodontia – PUCPR, Mestre em Odontologia – UNIOESTE. 4 Especialista em Implantodontia – Centro Universitário Avantis, Pós-graduado em Odontologia Hospitalar – Instituto Israelita de Ensino Albert Einstein, Especializando em Ortodontia – PUCPR. 5 Professor Titular – PPGO – PUCPR, Diplomado pelo Board Brasileiro de Ortodontia e Ortopedia Facial. DOI: 10.24077/2021;1456-1922

Este conteúdo é restrito a membros do site. Se você é um usuário registrado, por favor faça o login. Novos usuários podem registrar-se abaixo.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
Precisa de ajuda?