COLUNA JAQUES – Reposicionamento coronal do retalho para recobrimento de recessões gengivais múltiplas utilizando matriz de colágeno tridimensional associada às proteínas derivadas da matriz do esmalte – série de casos

COLUNA JAQUES – Reposicionamento coronal do retalho para recobrimento de recessões gengivais múltiplas utilizando matriz de colágeno tridimensional associada às proteínas derivadas da matriz do esmalte – série de casos

Vol. 13 – Número 51 – 2022 COLUNA JAQUES Página 20-26 Reposicionamento coronal do retalho para recobrimento de recessões gengivais múltiplas utilizando matriz de colágeno tridimensional associada às proteínas derivadas da matriz do esmalte – série de casos Flavia Sukekava¹ Julia Helena Luiz² Jaques Luiz³ RESUMO Recessão gengival é o termo genérico que significa exposição da porção radicular dos dentes. Pode causar problemas estéticos, hipersensibilidade dentinária ou ainda favorecer o aparecimento de cáries radiculares. Dependendo da queixa do paciente, pode ser tratada de diversas maneiras, por exemplo, através de restaurações diretas em resina composta, dessensibilização da raiz ou mesmo recobrimento radicular cirúrgico. Este último pode ser obtido através de reposicionamento coronal/lateral do retalho com ou sem enxerto de tecido conjuntivo. Na atualidade, a remoção de enxerto de tecido conjuntivo subepitelial do palato dos pacientes pode ser substituída por matrizes colágenas tridimensionais, gerando resultados estéticos satisfatórios. O objetivo desta série de casos foi avaliar a evolução do tratamento de recobrimento radicular utilizando o protocolo para recobrimento de recessões múltiplas com associação de substituto de tecido mole e proteínas derivadas da matriz do esmalte. Sete pacientes adultos, normorreativos, com queixa de exposição radicular, procuraram atendimento em nossa clínica. Foi proposto reposicionamento coronal do retalho associado com substituto de tecido mole e proteínas derivadas da matriz do esmalte. Todos os pacientes foram tratados com a mesma técnica cirúrgica. Ao final de 30 meses de pós-operatório, os pacientes autorreportaram resultados satisfatórios, com recobrimento radicular próximo de 85% e recobrimento total em 50% dos dentes tratados, sendo ausentes queixas de dor, edema considerável e/ou hemorragia no pós-operatório imediato. Este protocolo utilizado parece obter resultados satisfatórios com relação à queixa estética ou de hipersensibilidade dentinária reportadas pelos pacientes no início do tratamento. Descritores: Retração gengival, proteínas do esmalte dentário, retalhos cirúrgicos, relatos de casos. ¹ Esp, Me., Dr.ª e Pós-Doutora em Periodontia. ² Esp. em Periodontia. ³ Esp., Me. e Dr. em Implantodontia – Clínica privada, Curitiba/PR, Brasil. DOI: 10.24077/2022;135102465267

Este conteúdo é restrito a membros do site. Se você é um usuário registrado, por favor faça o login. Novos usuários podem registrar-se abaixo.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
LEIA MAIS
Precisa de ajuda?