Análise de falhas de implantes e enxertos ósseos com o uso de amoxicilina versus clindamicina em regime profilático – uma revisão integrativa

Análise de falhas de implantes e enxertos ósseos com o uso de amoxicilina versus clindamicina em regime profilático – uma revisão integrativa

Vol. 13 – Número 51 – 2022 CADERNO DE IMPLANTODONTIA Artigo de revisão Página 78-85 Análise de falhas de implantes e enxertos ósseos com o uso de amoxicilina versus clindamicina em regime profilático – uma revisão integrativa Bruno Eduardo Sant’Anna Falce de Macedo¹ Patrícia Tolentino da Rosa de Souza² Luciana Reis Azevedo Alanis³ RESUMO Uma alternativa para a profilaxia antibiótica em pacientes alérgicos à penicilina, é a utilização da clindamicina. Porém, ainda não há um consenso na literatura sobre a indicação de um antibiótico ideal, ou se há alguma alternativa mais eficaz que a clindamicina para pacientes alérgicos à penicilina quando submetidos à cirurgia de implantes dentais ou enxertos ósseos. Este estudo objetivou comparar a taxa de falhas de implantes e enxertos ósseos em pacientes que fizeram o uso de profilaxia antibiótica com amoxicilina e pacientes alérgicos à penicilina que fizeram o uso de profilaxia antibiótica com clindamicina. O estudo tem como objetivo secundário avaliar protocolos de profilaxia antibiótica com amoxicilina ou clindamicina, comparando dosagem e posologia com as taxas de falhas de implantes e enxertos ósseos. Foi realizada uma busca de artigos elegíveis para esta revisão na base eletrônica Pubmed (MEDLINE). Os critérios de inclusão utilizados foram estudos prospectivos, randomizados ou não; estudos retrospectivos; estudos realizados com pacientes sistemicamente saudáveis que foram submetidos à colocação de implantes dentais ou enxertos ósseos e realizaram o uso de amoxicilina ou clindamicina como profilaxia antibiótica. Como resultado, pode-se afirmar que ainda não há um consenso sobre qual a prescrição para um regime profilático ideal. Além disso, pacientes não alérgicos à penicilina tendem a apresentar menor porcentagem de falhas (perdas) de implantes dentais e enxertos ósseos. Concluiu-se que pacientes alérgicos à penicilina e que fizeram o uso de clindamicina como profilaxia antibiótica apresentaram maior taxa de falhas de implantes e enxertos, bem como maior frequência de infecções pós-cirúrgicas. Descritores: Implantes dentários, amoxicilina, clindamicina. ¹ Odontologia – Escola de Medicina e Ciências da Vida – PUCPR. ² Programa de Pós-Graduação em Odontologia – Escola de Medicina e Ciências da Vida – PUCPR. ³ Odontologia e Programa de Pós-Graduação em Odontologia – Escola de Medicina e Ciências da Vida – PUCPR. DOI: 10.24077/2022;135102449252

Este conteúdo é restrito a membros do site. Se você é um usuário registrado, por favor faça o login. Novos usuários podem registrar-se abaixo.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
Abrir conversa
Precisa de ajuda?