Utilização de ácido poli-L-láctico para o rejuvenescimento facial: relato de caso clínico

Utilização de ácido poli-L-láctico para o rejuvenescimento facial: relato de caso clínico

Vol. 4 – Número 13 – 2022 Relato de caso Página 8-19 Utilização de ácido poli-L-láctico para o rejuvenescimento facial: relato de caso clínico Monique Damazzini1 Sidmarcio Ziroldo2 Pedro Ivo Polak Júnior3 Ana Paula de Freitas Farias Silva4 Morgana Martins Setubal4 RESUMO O tratamento do envelhecimento facial continua sendo um desafio, mas o aumento do conhecimento das alterações anatômicas que ocorrem com a idade e o aprimoramento das ferramentas para o rejuvenescimento permitem alcançar excelentes resultados estéticos de forma não invasiva. Atualmente, dentre as diversas opções de tratamento para o rejuvenescimento, os bioestimuladores de colágeno ganharam popularidade no mercado por ter um efeito natural e duradouro. O objetivo do presente artigo é apresentar uma revisão da literatura e relato de caso sobre o ácido poli-L-láctico para o rejuvenescimento facial, incluindo suas indicações, técnicas de injeção, resultados esperados e possíveis efeitos adversos. Descritores: Bioestimulador de colágeno, colágeno, envelhecimento, ácido poli-L-láctico, Elleva. 1 Pós-graduanda em Harmonização Orofacial – UNIFAZ-PR. 2 Prof. Titular – UNIFAZ-PR, Me. em Ortodontia, Esp. em Bucomaxilofacial, Harmonização Orofacial e Implantodontia. 3 Professor Titular – UNIFAZ-PR, Me. em Odontologia, Esp. em Harmonização OroFacial e Implantodontia. 4 Prof. Titular – UNIFAZ-PR, Esp.em Harmonização OroFacial e Ortodontia. DOI: 10.24077/2022;4133173

Este conteúdo é restrito a membros do site. Se você é um usuário registrado, por favor faça o login. Novos usuários podem registrar-se abaixo.

Login de Usuários
   
Registro de Novo Usuário
*Campo obrigatório
LEIA MAIS
Precisa de ajuda?