Falta de orientação pode atrasar a primeira consulta da criança ao dentista

Publicado em 10/04/2018 00:00

Assim que o primeiro dente aparece, os pais devem começar a levart a criança ao dentista para exames regulares. O que parece ser um passo lógico, a fim de garantir uma saúde oral da criança desde o primeiro dente em diante não é evidente para todos os pais desde recomendações sobre quando iniciar as consultas ao dentista têm mudado ao longo dos anos. Portanto, os pais que confiam em sua própria experiência ou aconselhamento de membros da família podem estar ouvindo conselhos ultrapassados.
 
 
Uma nova sondagem nacional descobriu que sem a orientação de um médico ou dentista alguns pais não seguem as recomendações nacionais atualizadas para o início do atendimento odontológico para os seus filhos. De acordo com uma recente pesquisa nacional sobre a saúde das crianças pelo Hospital Infantil C.S. Mott da Universidade de Michigan, um em cada seis pais que não recebeu orientação de um prestador de cuidados de saúde acreditava que deveria adiar a consulta ao dentista para seus filhos até a idade 4 anos ou posterior. A Academia Americana de Pediatria e a  Associação Dentária Americana recomendam começar as consultas ao dentista em torno da idade 1ano, quando os dentes primários emergem.
 
A enquete representativa nacional foi baseada nas respostas de 790 pais com pelo menos uma criança com menos de 5 anos. Mais de metade dos pais não recebeu orientação do seu médico ou dentista de quando começar as consultas ao dentista. Dentre os pais que não foram solicitados por um médico ou dentista, apenas 35 por cento acreditava que as consultas ao dentista devem começar quando as crianças estão com um ano ou menos, como é recomendado.
 
“Nossa pesquisa conclui que quando os pais obtêm orientações claras do médico ou dentista de sua criança, eles compreendem a primeira consulta odontológica deverá acontecer com uma idade precoce. Sem essa orientação, alguns pais solicitam o aconselhamento da família ou de amigos. Como as recomendações mudam, eles podem estar ouvindo informações desatualizadas e não levando seus filhos ao dentista suficientemente cedo,” disse a codiretora da enquete Sarah Clark.
 
“Os pais ouvem orientações claras sobre quando devem começar as consultas com as crianças para a saúde delas e muitas vezes, agendar a primeira consulta antes mesmo de levar seu bebê para casa do hospital. Os pais obter muito menos orientação, no entanto,  sobre quando começar a levar a criança ao dentista, com menos de metade dizendo que receberam aconselhamento profissional. Esta falta de orientação pode significar muitos pais retardando o início de consultas odontológicas passada a idade recomendada”, acrescentou.
 
Os pais com maior renda e escolaridade e aqueles com seguro odontológico privado eram mais propensos a relatar que um médico ou dentista forneceram orientação sobre quando iniciar consultas odontológicas.
 
“Nossa pesquisa sugere que as famílias de baixa renda, menos educadas, e com Medicaid são menos propensos a receber orientação profissional no atendimento odontológico. Isso é especialmente problemático porque crianças de baixa renda têm maiores índices de cárie na primeira infância e se beneficiariam de atendimento odontológico precoce”, explica Clark.
 
Na enquete, mais de metade dos pais (60%) relataram que seus filhos tiveram uma consulta odontológica, e a maioria dos pais (79%) acreditavam que a consulta foi vantajosa. Entre os 40 por cento de pais cujas crianças não tinham tido uma consulta odontológica, as razões mais comuns para não terem ido, foi que a criança não tinha idade suficiente (42%), os dentes da criança eram saudáveis (25 por cento) e a criança ficaria com medo do dentista (15 por cento).
 
Um quarto dos pais que tinha atrasado as consultas odontológicas disseram que os dentes dos filhos eram saudáveis, mas Clark observou que é improvável que um pai possa detectar precocemente a cárie dentária. “Os pais podem não perceber a cárie até haver a descoloração, e então o problema provavelmente tornar-se significativo. Tratamento odontológico imediato ao primeiro sinal de cárie pode prevenir problemas dentários mais significativos no caminho, e é por isso que consultar o dentista regularmente  durante a primeira infância é tão importante”.
 
 
Fonte: Dental Tribune

EDITORA PLENA