Editorial Prosthesis and Esthetics in Science – Edição 37

Dez lições aos 104 anos

Não vou cansá-los com toda aquela ladainha de minhas infinitas memórias. Até os 96 anos me perguntavam como era possível que eu morasse sozinha e dirigisse meu próprio carro. Eu respondia que eu não sentia minha idade, que minha relação com meu corpo, meu sentimento era o mesmo de uma menina de 18 anos. Aos 104, não posso mais dizer isso, a verdade é que, hoje, sinto o peso dos anos.

Assim, passo a agradecer cada dia, cada hora, e cada minuto em poder estar aqui nesse planeta tão lindo que, muitas vezes, amanhece dourado, cheio de energia e esperança e se transforma no mais belo azul infinito… Com esses segundos de contemplação, já me dou por satisfeita em mais um dia que deixo para trás.

Minha irmã chamava-se Justina e se casou com Marcelo de Albuquerque Maranhão. Por intermédio deles, conheci o Edgard, irmão de Marcelo, que se tornou meu marido, meu companheiro e pai das minhas duas filhas Ilka Loureiro e Mercedes Ritzmann. Fui muito feliz no meu casamento com o Edgard.

Mas, atendendo ao imediatismo, que a maioria de vocês vive nos dias de hoje, vou poupá-los de me alongar nessa volta ao passado e já passo para as 10 lições aprendidas durante minha breve existência, sim breve, sempre breve, porque a vida é um sopro:

1 – Aprendi muito cedo a dar valor ao dinheiro, ao alimento e todas as coisas, nunca admiti o desperdício e a inutilidade, compartilhe tudo.
2 – Você é uma pessoa do mundo e ele lhe pertence, quando houver outra opção, nunca fique em casa.
3 – Nos anos 60 fiquei 03 meses viajando de ônibus, dei a volta completa nos USA. Dê seu jeito de viajar.
4 – Os serviços domésticos são uma benção para o espírito e para o seu bolso, é o Cross Fit mais bacana que existe.
5 – Seja organizada. A pessoa organizada faz economia, é sempre sustentável e prospera.
6 – Jamais caia na armadilha de confrontar os fatos da vida, se adapte.
7 – Saiba esperar, a vida tem sua própria justiça.
8 – Economize dinheiro, não tempo.
9 – Nunca recuse um convite, você é especial para alguém.
10 – Está chovendo? Guarda-Chuvas. Está frio? Agasalho, a vida está acontecendo lá fora, não dentro da sua casa.

Por fim, lembrem-se que netos são como o sol brilhando, no inverno curitibano. Apoie-se na fé e na honestidade, porque a justiça da vida sempre estará junto a você… mas, às vezes, é preciso esperar um pouco.

Abra as portas, sem medo, a vida é linda e absolutamente passiva e estará sempre aguardando por você.

Josefina Rocha de Albuquerque Maranhão
(Nenezinha – com a colaboração da neta e jornalista Bebel Ritzmann)

Abrir conversa
Precisa de ajuda?