Avaliação da alteração de cor da resina composta após imersão em diferentes soluções

Publicado em 24/11/2017 00:00

Vol. 9 – Número 33 – 2017
 
CADERNO DE ODONTOLOGIA CLÍNICA
 
Artigo original/Original article
 
Página 94-99
Avaliação da alteração de cor da resina composta após imersão em diferentes soluções
Evaluation of color change of the composite resin after immersion in different solutions
 
 
 
 
 
 
Rhanna de Oliveira Silva1
Paula Tamanini1
Frank Braun1
Ricardo Huver de Jesus2
Marcelo Massaroni Peçanha3
Lucas Campagnaro Maciel2
 
Resumo
Resinas compostas são materiais capazes de reproduzir as características ópticas próximas às do elemento dentário, além de possuírem propriedades mecânicas satisfatórias. Entretanto, elas apresentam instabilidade de cor em exposição prolongada a agentes corantes, tornando-se um fator limitante, principalmente em áreas estéticas. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a estabilidade de cor de duas resinas compostas, com partículas de carga diferentes, quando imersas em substâncias com potencial de manchamento. Foram confeccionadas 30 amostras da resina composta nano-particulada (Filtek Z350 XT, 3M ESPE, EUA) e 30 da resina micro-híbrida (Filtek Z250 XT, 3M ESPE, EUA). As amostras de cada resina foram divididas em 3 grupos (n=10) de acordo com as soluções utilizadas como meio de imersão: água destilada (controle), Cola-Cola® e café. A alteração de cor (ΔE) das amostras foram avaliadas através da diferença das tomadas de cor inicial e final (após 07 dias de imersão) por meio do espectrofotômetro. Os resultados mostraram que o meio de imersão influenciou significativamente no manchamento das resinas. A solução de café proporcionou os maiores valores de ΔE para ambas resinas testadas (nano-particulada = 20,07 +/- 0,67 e micro-híbrida = 17,24 +/- 0,53), e independente do meio de imersão, os maiores valores de ΔE foram encontrados na resina nano-particulada (p<0,05). Os resultados obtidos mostraram que o café é uma solução capaz de causar uma elevada alteração de cor nos compósitos e a resina nano-particulada Filtek Z350 XT é mais susceptível à alteração de cor do que a resina micro-híbrida Filtek Z250 XT.
 
Descritores: Corantes, resinas compostas, pigmentação, cor.
 
Abstract
Composite resins are materials capable of reproducing the next optical characteristics of the tooth in addition to having satisfactory mechanical properties. However, they present color instability in prolonged exposure to coloring agents, becoming a limiting fator, mainly in aesthetic areas. The objective of this study was to evaluate the color stability of two composites with different filler particles when immersed in substances with staining potential. Thirty samples were made of the nanoparticulate composite resin (Filtek Z350 XT, 3M ESPE, USA) and 30 of the micro-hybrid resin (Filtek Z250 XT, 3M ESPE, USA). The samples of each resin were divided into 3 groups (n = 10) according to the solutions used as immersion medium: distilled water (control), Cola-Cola®, and coffee. The color change (ΔE) of samples were evaluated using the difference of the initial and final color taken (after 07 days of immersion) by means of a spectrophotometer. The results showed that the immersion medium significantly influenced resin staining. The coffee solution provided the highest values of ΔE for both resins tested (nano-particulate = 20,07 +/- 0,67 and micro-hybrid = 17,24 +/- 0,53), and independent of the immersion medium, higher values of ΔE were found in the nano-particulate resin (p <0.05). The results showed that coffee is a solution capable of causing a high color change in the composites and Filtek Z350 XT nano-particulate resin is more susceptible to color change than the Filtek Z250 XT micro-hybrid resin.
 
Descriptors: Coloring agentes, composite resins, pigmentation, color.
 
1 CD, Graduado em Odontologia – ESFA.
2 Me. em Prótese – ESFA, Prof.
3 Me. e Dr. em Prótese – UFES, Prof.
 

Este artigo é exclusivo.Compre agora este artigo e receba em PDF via email - Valor R$ 40,00

EDITORA PLENA